terça-feira, 12 de janeiro de 2010

PRECISANDO DE AJUDA!

Amigas blogueiras!
Estou pesquisando sobre educação especial e preciso trocar ideia com alguém que já tenha trabalhado com alunos com necessidades especiais. Neste ano, terei um aluno portador de necessidades especiais e quero muito ter um norte para o meu trabalho. Existe bastante teoria, porém, quero saber da prática. Tenho muitas dúvidas: ♥ Como trabalhar? (Crianças, pais, comunidade em geral) ♥ O que esperar do meu aluno? ♥ Até onde devo ir? ♥... Nunca tivemos um caso como esse nas escolas do município. Sinto-me privilegiada, pois é um desafio e quero ser a diferença na vida dessa criança. Portanto, aguardo um retorno de todas vocês para que me auxiliem nessa jornada.

4 comentários:

Joyce Pianchão disse...

Querida, tenha calma! Acredito que o primeiro a ser feito é recebê-lo com naturalidade. Se for possível converse com a turma antes, para recebê-lo também com alegria. Geralmente as crianças têm mais facilidade do que nós, gostam de ajudar e se mostram solidárias e espontãneas. Não há receitas prontas, mas o mais ideal é que converse com a família, com quem o acompanha. A partir daí, você saberá como iniciar seu trabalho. A escola também tem que ser responsável pelo recebimento desse aluno, criando um ambiente acolhedor. Siga cada passo de uma vez, com calma.Nesse caso o acolhimento vem em primeiro lugar, a prendizagem vem depois no ritmo da criança. Boa sorte! Abraço, Joyce.

Karla Midões de Souza disse...

Oi Lê. Cheguei ao seu blog por acaso e amei. Já tive experiência dando aula para uma aluna inclusa. O termo "necessidades especiais" pode designar muitas coisas. A inclusão desses alunos é natural para as crianças mas para nós professores realmente assusta um pouco. Acho que a primeira coisa que deve saber é qual a necessidade dele. Minha aluna era cadeirante e tinha comprometimento na fala e na coordenação motora das mãos. Em meu município os alunos inclusos têm direito a um auxiliar de classe (o auxiliar é para o aluno, não para vc e o resto da turma). Dessa forma, a auxiliar era "escrevente", traduzindo a fala da aluna para registrar no caderno (era uma turma de 4º ano). Ela não tinha qualquer comprometimento cognitivo, pelo contrário, sempre foi ótima aluna. Procure saber se em seu município é viável que seu aluno tenha um auxiliar. Veja bem, era eu quem dava a aula, normalmente, com explanações, conteúdos no livro e no caderno. Minha aluna recebia as mesmas informações que os outros. Um diferencial era a avaliação, uma vez que era dificil dela responder longas questões, então eu fazia textos para ela completar, questões de múltipla escolha, coisas que ela nao tivesse que ficar muito tempo falando para a auxiliar, pois sua fala era limitada e ela se cansava. Acho que o mais importante é você estudar o laudo de seu aluno, e pesquisar sobre a sindrome ou necessidade especial que ele tem (autismo, down, surdez, paralisia total, paralisia parcial, etc) Procure saber também se ele terá um ajudante (se tem necessidade disso, vai depender da síndrome). Você pode pensar que como ela tinha uma auxiliar eu não me envolvia em sua educação diretamente, mas não pense assim. Eu era muito presente e cobrava dela atenção como cobrava das outras crianças. Ela participava da chamada, de trabalhos orais, trabalhos em grupo, apresentações na escola, respondia indagações que eu fazia sobre os assuntos de aula, e isso, esse tratamento IGUAL, é que fazia com que ela tivesse sempre uma boa auto-estima. É isso! Voltarei sempre ao seu blog para saber como andam as coisas. Bom retorno, boa sorte. Bjs.

Daise Liane disse...

OI, Lenilda, ao entrar em seu blog, deparei-me com teu pedido de ajuda.Acredito que o principal você já tem que é o desejo de recebê-lo bem. Tenho trabalhado com alunos especiais a alguns anos, mas para dar algum auxílio mais específico precisaria saber qual necessidade esse aluno apresenta. Mas não esqueça calma e dedicação é boa parte do sucesso. Se quiser entrar em contato meu email é daiselianefarias@gmail.com e meu blog é http://mundoencantadodadaise.blogspot.com/ beijos e um bom trabalho.

vevehzinho disse...

Em primeiro lugar não se assuste por receber um aluno com alguma deficiência, e não PORTADOR de necessidade especial. Só portamos algo quando queremos. Te aconselho conversar com a turma antes para não tratar este aluno como um BICHO DIFERENTE, e sim; peça que sejam solidários com ele. Qualquer dúvida é só entrar em contato comigo! Já recebi vários alunos com algum tipo de necessidade especial e, modéstia parte, tenho pós-graduação em EDUCAÇÃO ESPECIAL! Bjs!!!

 
© Copyright 2010-Reneide Criações. All rights reserved